Boas Vindas

terça-feira, 31 de maio de 2011

Poema: Obra Abaporu de Tarsila do Amaral





Poema: Solidão

O homem sozinho
com ar sofrido
lembra do tempo
que vivia menos sozinho.

O homem sozinho
também pensa
que a terra às vezes
mesmo cuidada
não devolve o carinho.

O tempo mostra
ao homem sozinho
que o sol escaldante
é uma luz
intrigante.

A luz intrigante
que veio num
pensamento brilhante
aproximou o que era distante.


Assim, o homem sofrido
mesmo sozinho
encontra o seu caminho.


Denise, Ivone, Alessandra, Daviana, Stefanie.














2 comentários: